Denuncie Aqui




Use esta página para denúncias, anônimas ou não, na Seção de comentários.

A depender de avaliação, as denúncias poderão ser propagadas em mídias virtuais, sociais e físicas parceiras do Movimento, bem como encaminhadas aos órgãos públicos responsáveis.

O Movimento Contra Corrupção não se responsabiliza, sob qualquer hipótese, pelo conteúdo dos comentários. Contudo, reserva-se a faculdade de não exercer qualquer tipo de censura sobre os mesmos.


8 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. http://www.youtube.com/watch?v=NfxAc-COzHc&feature=youtu.be

      Fiz um vídeo sobre a corrupçao no Brasil.

      Essa luta não é só minha é sua é nossa, temos a obrigação de cobrar os políticos e assim devemos fazer, se todos nós cobrássemos dos políticos o Brasil seria um país mais justo e democrático, não seria um país feito pros ricos, seria um país humanista que pensa no bem do seu povo e não em mamar nas tetas da população, mas como muitos ainda não entendem que sua obrigação não é só votar(EU ACHO ERRADO SERMOS OBRIGADOS A VOTAR, MAS ISSO É ASSUNTO PARA OUTO VÍDEO) sua obrigação também é fiscalizar, cobrar todas as promessas de campanha, não é só votar e esquecer que precisamos SIM durante todo tempo de mandato dos políticos exigir o que nós foi prometido.
      Se gostou do vídeo se inscreva no meu canal e compartilhe para que cada vez mais pessoas possam aprender a votar e aprender que temos que exigir, pois quem governa o país é a população que cobra os seus direitos. Estamos todos contra a corrupção, queremos um Brasil limpo sem desigualdade.

      Excluir
  2. Bom dia! Quero aqui falar de um problema que atinge boa parte do nosso Brasil ( além da corrupção ), a DENGUE, tenho observado que a dengue aumenta a cada ano, não seria o caso de rever se o 'FUMACÊ' esta dando o resultado esperado? Não estaria o governo insistindo num erro? Não seria hora de procurar outros meios de combate ao mosquito? já que o atual não esta resolvendo bulufas? Talvez alguém vai dizer que se não fosse o ' FUMACÊ, estaria pior, ( me polpem ). Que tal ao invés de andarem de casa em casa, não fazem foguetes de pequeno porte e nos dias de chuva, lancem esses foguetes para explodirem nas nuvens? creio que iria cair nos lugares onde os homens da saúde pública não podem ir, é apenas uma ideia, mas vai que cola?

    ResponderExcluir
  3. gostaria que vcs pudessem ver os videos do Projeto Pícaros, pois eles militam por questões que são importantes a sociedade brasileira:
    politico no Brasil (corrupção), Chico Mendes (memoria), América (releitura sobre a colonização)
    https://www.youtube.com/user/projetopicaros/videos

    ResponderExcluir
  4. Assessoria de Comunicação Social
    Data: 11/01/2008 Redatora: Maiama Cardoso -MTb/BA 2335



    QUATRO AÇÕES DE IMPROBIDADE PESAM
    SOBRE O PREFEITO DE NOVO HORIZONTE



    Simulação de processos de licitação, doações e operações de pagamento de transportes, produtos de limpeza e gêneros alimentícios que seriam destinados a escolas municipais. Estas são acusações imputadas ao prefeito do município de Novo Horizonte, José Lopes dos Anjos, em quatro ações civis públicas ajuizadas pela promotora de Justiça Michele Roberta Souto. Ela o acusa de, com a colaboração de servidores públicos, empresários e comerciantes da cidade (distante 553 Km de Salvador), lesar o erário municipal em mais de R$ 65 mil. Por isso, todos são alvo das ações por ato de improbidade apresentadas pela promotora à Justiça.

    Segundo Michele Souto, em março de 2007, o prefeito simulou a realização de dois processos licitatórios, “que jamais existiram”, para realizar operações de venda e compra de automóvel para o Município. Ele fingiu vender uma Silverado da Prefeitura e comprar uma D-20 de um comerciante, quando, em verdade, trocou um bem pelo outro e ainda pagou a diferença de R$ 22 mil, afirmou ela, salientando que tudo foi feito sem licitação. O processo, destaca a promotora de Justiça, foi desenvolvido com o auxílio do tesoureiro do Município, Itamar Lopes da Costa; do presidente da Comissão de Licitação, Aloízio Lopes Belo e de dois comerciantes da cidade, os quais “atuaram dolosamente, com plena consciência do que estavam fazendo”, acabando por causar o dano de R$ 42 mil ao erário. A ação ilegal motivou a promotora a requerer que a Justiça os condene a ressarcir integralmente o dano; perder a função pública; terem suspensos os direitos políticos de cinco a oito anos; e ficarem proibidos de contratar com o Poder Público pelo prazo de cinco anos.

    Em outra ação, o prefeito, o tesoureiro e o ex-secretário de administração, Djalma Abreu dos Anjos, são acusados de criar e inventar aquisições de produtos e prestação de serviços para processarem despesas como ocorridas e efetuarem o pagamento em nome de terceiros, mas se apropriarem dos valores desviados. Foi dessa maneira, afirma a promotora, que eles “pagaram” operações de compra de cascalho e de transporte de pessoas carentes. Souto destaca que “nas operações fraudulentas, os acionados simplesmente não faziam a licitação, tampouco seu processo de dispensa”. Ela solicita, liminarmente, a indisponibilidade dos bens dos agentes públicos, que também figuram como réus em outra ação, na qual a promotora relata que eles desviaram mais de R$ 16 mil com o falso transporte de pessoas doentes, que afirmaram à Promotoria nunca terem feito a viagem indicada nos documentos.

    Segundo Michele Souto, José Lopes dos Anjos também foi capaz de utilizar verba pública para quitar empréstimo pessoal do servidor público Braúlio de Queiroz Neto. Para isso, o prefeito simulou uma doação denominada 'benefício assistencial a pessoa carente', com a qual Braúlio deveria adquirir material de construção. Contudo, afirma a promotora de Justiça, nem mesmo existe lei ou decreto municipal criando o tal programa “que só o prefeito sabia em sua cabeça quem poderia ser beneficiado, quais os requisitos a serem preenchidos para ser contemplado e como se daria a fiscalização da utilização dos materiais doados”. Na verdade, reclamou ela, inexiste até mesmo o fato da aquisição do material de construção, que apesar de não ter sido adquirido, foi “pago”.





    Ascom/MP – Tel: 0**71 3103-6502, 3103-6505 e 3103-

    ResponderExcluir
  5. VEJA O SUPERFATURAMENTO NA COMPARA DE CARROS NA CIDADE DE BONINAL_CHAPADA DIAMANTINA_BAHIA.
    http://www.bocaonews.com.br/noticias/politica/politica/57845,boninal-ex-prefeito-paga-valor-superfaturado-na-compra-de-cinco-veiculos.html.

    Boninal: ex-prefeito paga valor superfaturado na compra de cinco veículos

    Por: Redação Bocão News (twitter: @bocaonews) - 10 de Abril de 2013 - 16h57
    0
    Uma representação contra o ex-prefeito de Boninal, Eudes Paiva (PT) município localizado na Região da Chapada Diamantina, será encaminha ao Ministério Público a pedido dos conselheiros do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), que julgaram procedente a denúncia de superfaturamento na compra de veículos em 2009.

    Além de acionar o MP, os conselheiros multaram o prefeito em R$ 2.5 mil e determinaram que devolva aos cofres municipais o valor de R$ 29,868,75, equivalente a quantia paga a maior pela aquisição dos veículos.
    O prefeito autorizou a compra de cinco carros Uno Mille Economy 1.0, tipo flex, ano/modelo 2009/2010, ao custo unitário de R$ 34.900,00, quando o valor de mercado era de R$ 28.569,00.

    O denunciante ressalta, ainda, que os requisitos previstos no Edital de Licitação nº001/2009 não foram respeitados, vez que os veículos não possuíam a quilometragem zerada, bem como a utilização dos automóveis tiveram destinação diversa.

    No seu direito de defesa, o gestor manifestou que os preços indicados pelo denunciante não são compatíveis com os veículos adquiridos, uma vez que estes contém diversos opcionais, o que não descaracterizou a irregularidade, pois o preço médio praticado pelo mercado na época era de R$ 28.569,00, concluindo que houve um sobrepreço de R$ 5.973,75, por veículo, perfazendo um montante de R$ 29.868,75.

    ResponderExcluir
  6. Gostaria de ajuda na divulgação dessa petição
    http://www.avaaz.org/po/petition/Fim_da_Improbidade_Administrativa_na_Fundacao_Cultural_Campanha_da_Princesa_Campanha_MG/?pv=17
    Vcs poderiam ajudar?

    ResponderExcluir
  7. Email
    Em sendo morador do Acre e como brasileiro, eleitor comprometido com meu estado, cioso da lisura que deve prevalecer sobre todo ente político legitimamente constituído para exercer cargo publico, não posso deixar de me indignar com a noticia que acabo de ler hoje vinculada pelo jornal Estadão (matéria abaixo), sobre prisão do sobrinho do governador Tião Viana, PT-AC. Quero lhe dizer que fui petista até o período: 2005/2006 quando estourou o Mensalão, esquema de compra de votos de parlamentares. Sinceramente estou enojado com o PT e seus sucessivos e intermináveis escândalos, mais ainda porque somos governados nacionalmente por ente seu. Peço-lhe por educação responder este email. Considero que a falta de resposta a ele será sinceramente considerado uma falta de respeito eleitoral e um descaso completo com a política e os seus entes, moral e legitimamente constituídos pelo voto livre e soberano.
    Atenciosamente,
    Marcelo - Acre
    Operação da PF prende sobrinho do governador do AC e secretário
    Polícia Federal cumpre mandados de prisão contra servidores públicos e empreiteiros acusados de envolvimento em esquema de fraude em licitação e desvio de verba pública; prejuízo estimado ultrapassa R$ 4 milhões

    A Polícia Federal cumpre na manha desta sexta-feira, 15, mandados de prisão e 34 de busca e apreensão em órgãos públicos nas cidades de Rio Branco e Tarauacá, no Acre. Entre os presos está um sobrinho do governador Tião Viana (PT), funcionário do governo. Os demais alvos da operação também são servidores públicos, entre eles o secretário de Obras do Acre.
    As investigações da Operação G-7, iniciadas em 2011, apontam para um esquema de fraude em licitação e desvio de verba pública em obras de pavimentação. Nos seis contratos analisados pela PF, o prejuízo aos cofres públicos ultrapassou R$ 4 milhões. O valor total dos contratos é de R$ 40 milhões.
    Além do secretário de Obras, a PF cumpre mandados de prisão do ex-secretário de Habitação e ex-superintendente da Caixa Econômica Federal, do Diretor do Departamento de Pavimentação e Saneamento e Abastecimento (Depasa), do Secretário Municipal de Desenvolvimento e Gestão Urbana de Rio Branco, do Diretor-executivo da secretaria de Habitação.
    Outros servidores e empreiteiros também serão investigados. Os nomes e o número exato de envolvidos não foram informados. A PF informou que todos devem responder pelos crimes de formação de cartel, falsidade ideológica, corrupção ativa e passiva, formação de quadrilha, fraude à licitação e desvio de recursos públicos.
    O nome da operação é uma referência ao grupo de ministros da Fazenda das maiores economias do mundo. No Acre, sete empresas se revezavam nas licitações e apenas simulavam a concorrência, de acordo com as investigações. Segundo a PF, os concorrentes que não fizessem parte do grupo eram eliminados ainda na fase inicial da licitação.
    A assessoria de imprensa do governo do Acre informou que aguarda ter acesso aos detalhes da investigação para se pronunciar sobre o caso. Já a Prefeitura de Rio Branco disse que o secretário citado na operação não foi notificado e continua trabalhando normalmente. / Colaborou Lilian Venturini

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...